Sandra Baía

Sandra Baía (1968, Lisboa-Portugal) passou a sua infância em vários países africanos seguindo o seu pai diplomata. Aos 18 anos, ganha independência e muda-se para Londres, onde começa a trabalhar na indústria da moda e, depois de alguns anos, retorna a Portugal e estabelece-se como artista. O ano de 2015 marca inequivocamente um período de expansão experimental de Sandra Baía. A tela é abandonada, e a tridimensionalidade espacial da escultura e da instalação site-specific assumem todo o canal criativo, e novos materiais, como o aço, o acrílico e variados compósitos de alumínio, são introduzidos no vocabulário expressivo. 
A grande escala dos trabalhos, o minimalismo conceptual e as características físicas e mecânicas dos materiais refletem uma progressão de camadas mais intrincadas e significantes na forma de expressão artística e de comunicação da mensagem.

A artista apresentou seu trabalho em diversas exposições individuais, como Simplicity isn't simple/ Dom Luis I Foundation/Museum Quarter, PT, 2017; Room 027, Cidadela Art District, Cascais, PT, 2015. Entre as exposições coletivas estão Personal Structures/Veneza, IT Bienal/European Cultural Center, Veneza, IT, 2017; Petra Gut Contemporary/ Zurique, 2017; Well It's Just An Ocen Between, Galeria TAL / Jacaranda, Lisboa, Portugal, 2017; e participa das coleções públicas Coleção Berardo; Teresa Regojo Foundation e Fundação Andy Macdonald, entre outras.

Obras de Sandra Baía